16/02/11


Série B inicia com vitórias de favoritos

No último sábado (13) teve início mais uma edição do Campeonato Estadual da Série B do Rio de Janeiro. Sendas e Friburguense, notórios favoritos ao acesso, venceram seus duelos. A equipe de São João de Meriti bateu o Angra dos Reis fora de casa, enquanto o Friburguense, em seus domínios, despachou a Portuguesa com direito a uma goleada acachapante por 6 a 0. O clima na Lusa não anda dos melhores, pois há uma guerra política entre o grupo que se saiu vencedor nas últimas eleições e o do comandado pelo presidente Antônio Augusto de Abreu, derrotado no pleito, mas ainda no poder sob efeito de uma liminar. Esperamos que as coisas logo se definam para que a Lusa não repita a péssima campanha de 2010, na qual foi uma das sérias candidatas ao descenso. O caçula São João da Barra, do técnico Jorge Sena, também estreou com triunfo, embora mais árduo, ao bater um outro clube assolado por indefinições, o São Cristóvão. Não se sabe até o momento se o grupo que vinha gerenciando o futebol desde o OPG do ano passado ficará à frente ou se o próprio clube cadete tocará o futebol este ano. Daí a indefinição no comando técnico, seguindo Jorge Madeira (foto), ao invés de Leandro Ávila, outrora anunciado. No que tange a outros times, surpresas podem acontecer. Contudo, acredito que 2011 será o ano da volta do Friburguense e da ascensão inédita do Sendas, que não titubeou no ano passado, ao vencer de forma incontestável a Copa Rio, abocanhando uma vaga para o Campeonato Brasileiro da Série D. Os caras não estão mesmo brincando em serviço!

Série C começa domingo repleta de indefinições

Dúvidas quanto a mando de campos, ausência de atletas inscritos no BIRA (o prazo terminou no dia 14 deste mês), desistências e a provável ocorrência de resultados neste fim de semana por WxO são alguns dos itens costumeiros a esse módulo que precisa urgentemente ser remodelado, a começar pela data de início que deveria voltar para o segundo semestre. La Coruña, Três Rios e Nova Cidade já abandonaram o barco. De acordo com as últimas decisões da Federação, devem tomar multa de 10 mil reais e a conseqüente suspensão das atividades em 2012. O caso do La Coruña, por seu turno, é mais delicado, pois a equipe se encontra ausente das competições profissionais desde 2008. Portanto, é provável que seja desfiliado dos quadros da entidade. O Futuro Bem Próximo, presidido pelo simpático Élton Bispo, poderá mandar os seus jogos em Paracambi, visto que o Louzadão já comporta partidas do Mesquita e Barcelona. Condor e Tomazinho atuarão no Joaquim de Almeida Flores, em Nilópolis. O América-TR terá seu mando de campo no Sebastião de Toledo Ribas, o Tiezão. O Rio São Paulo, que no momento faz pré-temporada em Paraíba do Sul mandará seus jogos no Eustáquio Marques, em Curicica. Arraial do Cabo e Yasmin farão jornada dupla em Figueira de Melo. O Rubro Social continuará em Moça Bonita. O Apollo, no Municipal Hermenegildo Barcelos, em Arraial do Cabo. O Santa Cruz atuará no Oswaldo Delgado de Moraes, do Tupy de Paracambi. O Queimados, no Nivaldo Pereira, enquanto o União de Marechal Hermes jogará no Luso-Brasileiro. O Itaborai atuará em seus domínios, no Municipal Alziro de Almeida e o Duquecaxiense, no Telê Santana, o Maracanãzinho de Caxias, provavelmente com portões fechados.

Técnico da semana: Moreno, do Queimados


A exemplo do ano passado tentaremos, na medida do possível, apresentar a cada semana, sem nenhuma distinção, o perfil de um treinador das Séries B e C. À medida que cobrirmos os jogos, pegaremos os dados de cada um desses profissionais para compormos o quadro. Cabe a Paulo Roberto Alves de Oliveira, o Moreno (foto), a honra de reinaugurar o espaço. Moreno, 49 anos, como jogador, foi ídolo do América nos anos 80. Jogava como meia-atacante. Sua estréia como atleta ocorreu na categoria infantil do Botafogo. Logo passaria ao América, conquistando o então inédito título de campeão estadual infanto-juvenil em 1979. Moreno se tornaria a partir de então um dos ídolos da equipe que encantou os torcedores nos anos 80, compondo um dos memoráveis elencos, cujo destaque era Luisinho Tombo. Em 1986, passou a defender as cores do Náutico. No ano seguinte já estava no Joinville, na época um time de elite do futebol brasileiro. Coritiba, Atlético-PR, São Cristóvão, Rio Verde (GO), Araçatuba e Bangu foram outras equipes nas quais desfilou o seu talento. Entre 1992 e 95, disputou a Taça Libertadores da América pelo peruano Sport Boys. Seu último clube foi a Cabofriense em 1998. Em 2000, iniciou a carreira de treinador no América como auxiliar de Jair Pereira. Treinaria ainda Mesquita, Nova Iguaçu e a Seleção de São Tomé e Príncipe, um dos países africanos de língua portuguesa.

Tomazinho vence dificuldades e confirma participação


Nos alegra imensamente o retorno do Tomazinho, após dois anos de ausência, ao Campeonato Estadual da Série C. O simpático clube se encontra no restrito rol dos campeões invictos da supracitada divisão. A empresa gerenciada pelo ex-goleiro Marco Cerdá assumiu o futebol em parceria com o clube. Haverá uma mescla no elenco para que o time faça uma boa campanha na competição. Na foto vemos à esquerda o presidente Quinha ladeado pelo seu adversário na estréia, o presidente do União de Marechal Hermes, Ivany da Costa Cardoso, fotografados ontem na sede da Federação. Conforme podem ver, o clima entre as agremiações é o de longeva amizade. O Tomazinho se profissionalizou em 1978, enquanto o União em 1991. Para o presidente Quinha, a alegria em disputar o campeonato supera as últimas semanas de insônia, cansaço e ansiedade. Para nós é só alegria. Não dá para esconder a preferência desse colunista por Tomazinho e Heliópolis, agremiações que sempre terão lugar sagrado no nosso coração. Sofrendo tanto pelos maus resultados do Vasco, só nos resta realmente o Tomazinho que mantém uniforme muito similar ao do Gigante da Colina.

Escudo da semana: Grêmio Estrela, de Magé


Fundado em 7 de novembro de 1957, o Grêmio Esportivo Fábrica da Estrela é uma das glórias do futebol mageense. Sediado em Raiz da Serra e originalmente criado como um clube dos empregados da fábrica do exército IMBEL, possui estádio próprio no mesmo local. Em 1957, se classificou para a disputa do antigo Campeonato Fluminense. Perdeu a decisão da terceira zonal, a da Baixada Fluminense, para o Nacional, de Duque de Caxias, do nosso saudoso Narciso Marques. Em 2009, com a extinção da fábrica de armamentos, o clube mudou de denominação, passando a se intitular Grêmio Futebol Clube. O azul deu lugar ao vermelho. Agradecemos a gentileza do goleiro Erisvan, do Cardoso Moreira, em nos enviar esse logotipo que foi vetorizado pelo querido amigo Sérgio Mello, colega do Jornal dos Sports, um notório colecionador de escudos do mundo inteiro. Para os amigos colecionadores segue em primeira mão o logotipo do antigo Grêmio Estrela. O atual pode ser encontrado no site Magé Soccer na parte “Clubes filiados”.

Mínimas


>> A taxa para refiliar um clube profissional à Federação do Rio passou de 60 para 100 mil reais. Extinguiu-se aquela famosa taxa de refiliação que custava 15 mil para quem já tinha sido profissional. Quem se ausentar e depois quiser retornar tem que pagar 100 mil como qualquer clube novo. A medida não é de toda má, pois afastará os aventureiros.

>> Guanabara, Profute, Miguel Couto, Fênix e Floresta estão rebaixados à Série C. E ainda, em razão da desistência, levarão uma multa de 10 mil reais. O motivo: desistiram com a tabela da Série B já montada.

>> O Marinho, que é da Série C, por ter apresentado licença fora do prazo (em janeiro) está suspenso das competições em 2012 por designação da FERJ. Leva também uma multa de 10 mil reais. Será que volta?

>> Já o Rio das Ostras teve concedida a sua licença este ano, pois foi apresentada no prazo. Mas terá também que pagar 10 mil reais a título de licença. Quem se licencia também paga esta taxa. O Alvinegro da Costa do Sol deve voltar no ano que vem.

>> Abraços aos inúmeros leitores que nos escrevem. Em breve o nosso editor Jota Carvalho voltará com a sua aguardada coluna e também as promoções. Já há um livro de Raymundo Quadros e José Rezende, “Vai dar zebra”, para ser sorteado futuramente entre os leitores.

>> Gostei muito do filme “Nosso Lar”, que assisti outro dia. Mas falta um ingrediente principal nessa suposta vida que é retratada após o desenlace: futebol! Me desculpem, mas só a rotina de trabalhar incessantemente pelos enfermos e ouvir música clássica, tendo como cenário a Quinta da Boa Vista, não dá!

>> Nesta quinta-feira (17) jogam amistosamente no Maracanãzinho, de Caxias, às 16 horas, Arraial do Cabo e Duquecaxiense.

>> Finalmente temos de volta as Séries B e C. Bom era nos anos 80 quando esses campeonatos duravam o ano inteiro. Que venha também a Série D, mas, por favor, só no ano que vem!

Até a próxima semana, amigos, com mais notícias sobre o futebol do Rio e do Brasil. Até lá!!!.

* André Luiz Pereira Nunes é professor, pesquisador e historiador do futebol carioca, além de mestrando em literatura brasileira pela UERJ.

>> Email para essa coluna: adrnunes@hotmail.com .

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

papoesportivo.com - todos os direitos reservados