21/01/10

Tomazinho reage no Torneio de Verão

Estive presente ao estádio Josias José da Silva, em São João de Meriti, no último domingo, para a partida entre Tomazinho Futebol Clube e CFM (foto), de Japeri, válida pela segunda rodada do Torneio de Verão, promovido pela Liga de Desportos de Nova Iguaçu, sob a administração do competente Luiz Carlos Pina. Assisti uma boa peleja vencida pela equipe da casa, que perdera na primeira rodada para o Monte Líbano Futebol Clube, no estádio Osmário Castelar Filho, em Andrade Araújo. A tradicional agremiação cruzmaltina de São João de Meriti reagiu bem na competição, sobrepujando o seu adversário, cujo elenco disputará o Campeonato Estadual da Série C de Profissionais pelo Esporte Clube Rio São Paulo, por 3 a 1, com destaque para o atacante Japeri, que deverá se apresentar ao Heliópolis Atlético Clube ainda nessa semana, para reforçar o alvianil na sua tão sonhada volta à Série B, feito que não acontece desde 2001. O Tomazinho é um celeiro de craques e revelou, só para ser bastante sucinto, o volante Válber Rael, destaque da Seleção Brasileira e de diversos clubes do país. A próxima partida será domingo, fora de casa, contra o Portelense Futebol Clube, equipe de Magé, que disputa pela primeira vez um campeonato de Nova Iguaçu, que já foi prestigiado por diversos times de renome da Baixada Fluminense. O Portelense manda os seus jogos no estádio do Esperança Futebol Clube, localizado no bairro iguaçuano de Andrade Araújo. Entre os participantes do Torneio de Verão há agremiações de várias partes da Região Metropolitana do estado, com destaque para o São Francisco Futebol Clube, sediado em Belford Roxo.

Éden Futebol Clube sob nova administração

Fundado em 13 de outubro de 1938, o alvianil de São João de Meriti (foto) foi também visitado por esse colunista, que resolveu no último domingo fazer um tour pelos principais clubes da cidade. Anteriormente relegado e assolado por disputas internas, o Azulão planeja agora o seu erguimento aspirando em um futuro próximo a participação do futebol profissional meta desejada há muitos anos. Para isso, conta com a nova administração do presidente Jaílton Paschoal de Farias, que não poupará esforços para que o Éden honre o seu papel glorioso no futebol meritiense e da Baixada Fluminense. Entre as suas diversas conquistas ao longo de 72 anos de história, há a de campeão iguaçuano de futebol júnior, em 1993, e de campeão de juniores da antiga Liga de Desportos de São João de Meriti, em 1991. Em 2003, foi campeão iguaçuano master e, em 2006, foi vice-campeão.

Achamos o presidente do São João de Meriti Futebol Clube

Do estádio do Éden, fomos parar, por indicação de seus dirigentes, na casa de Risan Mourai (foto), presidente do antigo Psicose Futebol Clube, fundado em 22 de fevereiro de 1995, tornado depois São João de Meriti Futebol Clube, devido a uma imposição da FERJ para que pudesse disputar o profissionalismo em 1998. Achavam certamente que Psicose não soaria bem para um time profissional, o que acho uma grande besteira! O fato é que se angariar mais apoio, Risan, que é comerciante e professor, como este colunista, recolocará o seu time de volta na Terceira Divisão, acrescentando ainda que mediante patrocínio teria conseguido um destaque semelhante ao que ocorre hoje com o Duque de Caxias Futebol Clube, presente atualmente à Série B do Campeonato Brasileiro e Série A do Estadual do Rio de Janeiro. O Psicose foi vice-campeão da Liga de Desportos de São João de Meriti, em 1996, na época presidida pelo saudoso Édson Barbosa da Cunha (Edinho), que tanto apoio prestou ao futebol do município. Desportista nato, Edinho era figura preponderante para que Meriti viesse historicamente a ocupar o seu lugar de destaque no cenário futebolístico da Baixada Fluminense e restante do estado. Tivemos o prazer de conhecê-lo e fazemos a ele essa singela homenagem. Não deixaremos que Édson Barbosa da Cunha seja esquecido.

Fazenda Futebol Clube se prepara para as eleições

Fundado em 2 de janeiro de 1933, o alvinegro do Jardim Meriti (foto) se prepara para as eleições, que serão realizadas em 2010. O atual presidente é Edmiro dos Santos Duarte, mais conhecido como Berico, que ainda estuda a possibilidade de se recandidatar ao cargo. Conhecendo cada pedaço do seu clube, Berico foi um dos destaques da equipe que conquistou o campeonato meritiense, promovido pela antiga liga, em 1987. Tivemos o enorme prazer de conversar com Alcino Rodrigues, histórica figura na agremiação, que é presidente do conselho deliberativo, que nos contou um pouco da história da agremiação. O estádio José da Costa França deverá passar por reformas para que o time continue honrando o seu glorioso passado na cidade. Para quem não sabe, o Fazenda disputou o Campeonato Fluminense, promovido pela antiga Federação Fluminense de Futebol. Em 1957, perdeu o título da Terceira Zona, a da Baixada Fluminense, para o finado Nacional Foot-ball Club, de Duque de Caxias, clube que revelou nada mais, nada menos que Roberto Dinamite. Em primeira mão disponibilizamos para os amigos colecionadores o logotipo do Fazenda.

Coelho da Rocha vence mais um campeonato


É impossível remetermos ao futebol de São João de Meriti sem citarmos a prestigiosa União Esportiva Coelho da Rocha, resultante da fusão de Novo Rio Futebol Clube e Sport Club União da Mocidade, a então detentora da sede, que venceu o Campeonato Meritiense, categoria Adultos, promovido pela Liga Independente de São João de Meriti. Somos sempre muito bem recebidos no estádio José Amorim Pereira e clicamos o presidente Otojanes Coutinho de Oliveira com o ex-atleta Gílson Paulino, cujas passagens por Bangu Atlético Clube e Pavunense Futebol Clube foram memoráveis. Otojanes, que é um vereador bastante atuante no município, estando hoje na vice-presidência da Câmara, planeja a volta do Coelhão ao profissionalismo em um futuro próximo. Na década de 80, o clube era figura obrigatória nos campeonatos de âmbito profissional, quase chegando à Segunda Divisão em diversas oportunidades. Em especial, em 1981, quando foi terceiro no certame que promoveu Mesquita Futebol Clube e Rubro Atlético Clube. No ano seguinte, foi quarto colocado no quadrangular no qual ascenderam Esporte Clube Siderantim e Clube Esportivo Rio Branco de Campos. O Coelhão não disputa a Terceirona desde 2003, todavia o seu estádio é o que está em melhores condições para sediar partidas profissionais na cidade.

* André Luiz Pereira Nunes é professor, pesquisador e historiador do futebol carioca, além de mestrando em literatura brasileira pela UERJ.

>> Email para essa coluna: adrnunes@hotmail.com .

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

papoesportivo.com - todos os direitos reservados